Amor à primeira dentada…

0
213
Foto: DR

“Mais vale um pão com amor do que galinha com dor” é um provérbio antigo e adapta-se perfeitamente ao projecto de Ana Rocha: por amor ao pão.

Por Fernanda Maia

Licenciada em Química pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto e desempregada, Ana Rocha tinha necessidade de ocupar o tempo. Nessa altura descobriu o pão de fermento natural (o inglês sourdough bread). Lendo blogs americanos foi aprendendo a fazer este tipo de pão. Demorou seis meses até conseguir o primeiro sucesso. E, como ela diz, “foi amor à primeira vista e à primeira dentada”. “Nunca mais quero comer outro. Este é o melhor pão de sempre”, garante.

Depois de uma passagem por Lisboa a trabalhar como técnica superior de laboratório, descobriu que este não era o seu “emprego para a vida”. Voltou ao Porto e adquiriu o equipamento básico para arrancar com a “padaria de garagem”. E assim surgiu o projecto “Pão da Mó”. 

Como só com bons cerais se conseguem boas farinhas, a moagem em mó de pedra feita a frio mantém as melhores propriedades dos cereais, como grande parte da fibra e das proteínas, conseguindo assim um pão rico em textura, aroma e sabor. Por ser feito com fermento natural e levedar lentamente, entre oito a 12 horas, o resultado é um pão muito crocante, com um miolo firme e leve.

A Pão da Mó nasceu como conceito em Novembro de 2016, iniciou a sua produção em Janeiro de 2017 no sistema de encomendas e entregas (graças às redes sociais, Facebook e Instagram) entre Vila Nova de Gaia e Póvoa de Varzim. Ao longo do tempo, a distribuição foi-se ajustando por vários motivos, fazendo-se actualmente entre Gaia, Porto, Matosinhos e Maia. A loja abriu apenas em Agosto de 2020 como consequência natural do percurso, sem ser um objetivo definido desde o início. A condição para avançar nessa nova etapa era ser um ponto de venda perto da produção, nos Carvalhos-Pedroso. E assim foi.

Dar a conhecer este tipo de pão em 2017, a nível nacional, era um feito pouco usual. Só meses mais tarde é que Ana Rocha conseguiu provar e conhecer pão de outros colegas padeiros que já faziam este tipo de pão, tão delicioso quanto saudável e ser a nova fonte de rendimento. Com a enorme vantagem de ganhar a vida a fazer algo que descobriu adorar e que só passando pelo desemprego e pela experiência de trabalho em Lisboa, se proporcionou. Primeiro a descoberta, depois com a continuação a fazer pão, esta empreendedora percebeu o quão apaixonada era por fazer “este” pão.   

Até Maio de 2020, Ana Rocha trabalhou sempre sozinha e nos meses pré-loja teve apoio nas entregas. Mas a partir de Agosto desse ano surgiu a “primeira ajudante” na loja. Em Dezembro, percebeu que precisava de ajuda, dado o aumento na frequência de produção, que passou de dia sim dia não, para diária. Actualmente, na loja, além de Ana Rocha, estão Marta Pinto e Fernando Mourão (este, na produção). Sem esquecer a “bolacheira” Gi.

De momento, estão com um capítulo novo: a apresentação de um cabaz, em parceria com uma organização não governamental para o desenvolvimento (ONG-D), a “From Kibera With Love”, no Quénia. O cabaz contém um frasco de cogumelos Shiitake em azeite e especiarias, uma infusão biológica, uma tábua com pega, em madeira de pinho e uma colher (funcional) de artesanato queniano, cujo valor reverte para a ONG-D. E, claro, um pão com sementes. Como o pão é o único produto fresco, o Pão da Mó é que faz chegar o cabaz ao cliente final. E tudo por amor ao pão, com um ingrediente indispensável: tempo. Muito tempo.

Abertura: quartas, sextas e sábados, excepto feriados.
Morada: Rua Soares dos Reis 531, Mafamude (perto da rotunda de Santo Ovídio).