Bienal de Arte de Gaia mostra obra premiada de Siza Vieira na China

0
190
Fotos: Nélson Garrido

Exposição conta com obras de centenas de artistas, desde a pintura à escultura, e está patente até 10 de Julho, em Lever

Por Dalila Garcia

O projecto do Museu de Arte e Educação de Ningbo, na China, da autoria dos arquitectos Álvaro Siza Vieira e Carlos Castanheira, é uma das principais atracções da IV Bienal Internacional de Arte de Vila Nova de Gaia, que decorre em Lever. O trabalho, patente na antiga Companhia de Fiação de Crestuma, foi recentemente premiado pelo website Archdaily, após votação internacional, para “Edifício do Ano 2021”, na categoria Arquitectura Cultural, e está inserido na exposição “Novos Orientes”, com a curadoria de Manoel Novaes.

Foto: Nelson Garrido

A Bienal pode ser visitada até 10 de Julho e acolhe várias centenas de obras de artistas nacionais e internacionais, dos mais conhecidos aos que ainda estão em início de carreira. Para a exposição dos trabalhos está aberta a maior área expositiva de sempre – seis mil metros quadrados –, distribuída por três pavilhões, como refere Agostinho Santos, coordenador da exposição, em declarações ao site da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia (CMVNG).

A pandemia é tema incontornável da Bienal, não apenas pela obrigatoriedade de aumentar o espaço disponível (devido à necessidade de assegurar a segurança sanitária dos visitantes), como também pelos próprios trabalhos em exposição. “Coronavírus não destrói a criatividade – Reações e Consequências” é o resultado do desafio lançado aos artistas durante a primeira vaga da pandemia, no sentido de abordarem o tema através da pintura ou de outras expressões artísticas. O desafio foi aceite por 176 artistas de oito nacionalidades. Como refere o seu coordenador, esta é “uma Bienal de Causas”.

Recorrendo ainda à opinião de Agostinho Santos, que refere: “Não queremos expor arte pela arte, queremos expor arte e agitar consciências. Este é um dos temas [a pandemia] aos quais não podemos estar indiferentes”.

A Bienal é organizada pela Artistas de Gaia – Cooperativa Cultural, CRL e tem o apoio da CMVNG. Este ano, e pela primeira vez, contou com o apoio da Direcção-Geral das Artes.

Refira-se, finalmente, que ocorrerá o habitual concurso internacional, no qual participarão 212 artistas de 17 nacionalidades, além de uma homenagem ao escultor Paulo Neves e ao pintor Albuquerque Mendes. Até 10 de Julho, Lever é o caminho da cultura, em Vila Nova de Gaia.