Dos “meses loucos” da pandemia, à arca congeladora

0
275

Nem tiveram “tempo para respirar” durante os primeiros meses da pandemia. “Vendemos tudo!”, diz com orgulho Ana Pinheiro, que gere desde 2015 a frutaria familiar Alegria Aromática. O negócio, situado na União das Freguesias de Mafamude e Vilar do Paraíso, prosperou e agora o objectivo é crescer. O Vozes de Gaia dá a conhecer este espaço de comércio local, dedicado à venda de frutas e legumes, comprados a um produtor local, e mercearia variada.

Por Aida Maria (texto e fotos)

VOZES DE GAIA – Há quanto tempo tem esta empresa?
ANA PINHEIRO – Desde 2015. Estava descontente com o emprego que tinha e a pessoa que aqui estava queria vender este espaço. Então, eu e o meu marido resolvemos arriscar e comprámos.

A quem recorre para abastecer a loja?
Sobretudo, ao Mercado Abastecedor do Porto. Tenho também um agricultor de Valadares que me fornece quase tudo o que produz. Para a mercearia, tenho alguns fornecedores.

Fecharam durante os confinamentos da pandemia?
Não, porque pertencíamos ao ramo alimentar.

E como foram as vendas nesses períodos?
No primeiro confinamento, foram dois meses loucos, nem tínhamos tempo para respirar! Vendemos tudo! Depois até tivemos alguma dificuldade para repor os stocks. Agora, as coisas já normalizaram.

Tem a ajuda de alguém?
Tenho uma funcionária e o meu marido, que não trabalha aqui, mas que nos tempos livres me ajuda.

Alguma vez teve problemas com clientes?
Nunca tive problemas com ninguém. São clientes afáveis, a maior parte já os conheço há anos. São outra família.

Ana Pinheiro gere a mercearia e frutaria familiar Alegria Aromática desde 2015

Durante a pandemia fizeram entregas em casa ou venderam pela Internet?
Não, não temos condições para isso, mas também não foi preciso. Temos um horário alargado: de segunda a sexta, das 08h00 às 07h30, e ao sábado, das 08h00 às 17h00.

A Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia tem implementado algumas ajudas ao comércio local. Alguma vez aderiram?
Sim, pelo Natal e pela Páscoa. A Câmara deu vouchers aos funcionários para comprarem no comércio local e nós participámos.

Apesar de vivermos tempos de incerteza, pensa fazer algum investimento num futuro próximo?
Provavelmente, comprar uma arca congeladora, porque acho que os congelados terão bastante saída.