Refugiados Ucranianos contam com Seminário Cristo Rei na chegada a Portugal

0
16
O seminário acompanhou também a recolha de bens | DR

Por Manuel Martins, Sónia Martins e Paula Gomes

Após o início da guerra na Ucrânia e com a chegada de refugiados ucranianos a Portugal, o Seminário Cristo Rei, em Vila Nova de Gaia, colocou-se a postos para cumprir a sua missão iniciada em 1939, aquando da construção do edifício na cidade. 

“Colocámos à disposição 105 camas, para o acolhimento dos refugiados”, confirma o padre Acácio Matos, responsável pelo seminário. Com os voluntários, o Seminário Cristo Rei acompanhou também de perto a recolha de bens de primeira necessidade como roupas, medicamentos e comida que, a pedido, foram transportados para Polónia, Roménia e Ucrânia.

“Com o aumento dos bens doados, o parque para a sua recolha passou para a UTIC de Laborim da Águas de Gaia, com maior área”, acrescenta Acácio Matos, sublinhando que “toda esta ajuda só foi possível graças à conjugação de esforços e bens, não só do Seminário Cristo Rei, mas também da Câmara Municipal, de empresas, de instituições e dos particulares”. 

Atualmente, continuam alojados no seminário refugiados, não só ucranianos, mas também de outras nacionalidades, como por exemplo afegãos. 

Dada a complexidade da inserção plena destes povos na comunidade portuguesa, o processo está em transição para o serviço jesuíta aos refugiados. Esta organização internacional da igreja católica foi fundada em 1980 e opera em Portugal desde 1982. A sua missão é «acompanhar, servir e defender» os refugiados, deslocados à força e migrantes em situação de particular vulnerabilidade.

Para que seja mais fácil todos acederem a actualizações e informações acerca da comunidade ucraniana, esta criou uma página no Facebook e outra no Instagram, de forma a aproximar a cultura de quem chega de quem pretende ajudar.