Sou cidadão ucraniano, cheguei a Gaia. E agora?

0
17

Por Paula Gomes

Vila Nova de Gaia, Matosinhos e Porto decidiram unir esforços, através da campanha “Somos Todos Ucrânia”, para dar uma resposta concertada e de grande escala à crise de novos refugiados que a invasão da Ucrânia pela Rússia está a desencadear. 

O município de Vila Nova de Gaia, através do “Somos Todos Ucrânia”, já enviou toneladas de bens para zonas na fronteira da Ucrânia, país invadido pela Rússia a 24 de fevereiro.

As câmaras de Vila Nova de Gaia, Porto e Matosinhos lançaram a campanha “Somos Todos Ucrânia” para ter uma resposta humanitária integrada que permitisse congregar todo o apoio ao povo ucraniano. Foram criados um website (somostodosucrania.pt) e uma linha telefónica (222 090 420) onde é possível a comunidade participar nessa ajuda, nomeadamente através da recolha de bens e do acolhimento de famílias refugiadas.

O presidente da Câmara Municipal de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, destacou no discurso de apresentação do “Somos Todos Ucrânia” que, “num tempo em que individualismo prevalece, em que cada um tenta fazer por si o que devia fazer em cooperação, o que entendemos é que valeria a pena juntar esforços, articular medidas, reconhecendo que o que temos pela frente vai ser um tempo longo”, referiu.

Tanto a linha de apoio como o website destinam-se em exclusivo às áreas em que a comunidade poderá participar nessa ajuda, nomeadamente através da oferta de empregos ou do acolhimento de famílias refugiadas – não estando, portanto, vocacionados para dar resposta a pedidos de ajuda diretos de refugiados ucranianos ou familiares. 

Como forma de organizar esta convergência de vontades, a campanha “Somos Todos Ucrânia” foi desenvolvida a quatro níveis de atuação. Em primeiro lugar, a recolha de bens pedidos pelo Consulado da Ucrânia no Porto, que serão entregues na fronteira da Ucrânia com a Polónia. A extensão deste apoio foi determinada em função das necessidades apontadas pelo Seminário Cristo Rei, em Vila Nova de Gaia, que, desde 26 de fevereiro, e em parceria com a Associação dos Ucranianos em Portugal, tem em curso uma campanha de recolha de bens essenciais, da qual já resultou o envio de quatro camiões para a fronteira. 

Em segundo lugar, a agregação das ofertas de alojamento e disponibilidade para acolhimento, numa resposta que está a ser coordenada com o Alto Comissariado para as Migrações – entidade para a qual as ofertas serão encaminhadas. Desde o final de fevereiro, a autarquia disponibiliza o hostel do Parque Biológico de Gaia, com capacidade para cerca de 50 pessoas, para acolhimento das famílias ucranianas que chegam ao concelho. 

Foi também criada uma bolsa de emprego onde, com o apoio de dezenas de associações que representam os profissionais de vários setores da atividade, serão reunidas ofertas de emprego. Estas serão encaminhadas para o Instituto de Emprego e Formação Profissional – IEFP.

Por fim, foi ainda criada uma bolsa de serviços em variadas áreas para ajuda de uma melhor integração em Portugal. Serão aceites voluntários dos mais diversos quadrantes profissionais portugueses para prestar auxílio aos ucranianos. Médicos, advogados, psicólogos, tradutores, cabeleireiros, motoristas ou profissionais de outros setores podem inscrever-se na plataforma e colocar a sua experiência profissional e formação à disposição para que, nas suas áreas, se possam fazer valer aos recém-chegados. Em Março, a plataforma já tinha angariado mais de 370 bolsas de serviços.

Outras medidas em curso

Para além do que já foi referido, a Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia está a trabalhar com as escolas, tanto no sentido de integrar crianças e jovens refugiados nos jardins-de-infância e nas escolas de primeiro ciclo, como na prestação de todo o apoio educativo, alimentar e psicossocial às famílias e crianças deslocadas. Está ainda em elaboração um programa especial para o ensino da língua portuguesa. 

A Saúde Pública municipal disponibilizou, também, uma equipa de voluntários que está a prestar apoio na seleção, triagem, acondicionamento e preparação dos donativos de material médico e cirúrgico. (indicação dada pela CM Gaia, ipsis verbis)

A campanha “Somos Todos Ucrânia” tem-se realizado em articulação com associações de diversos setores de atividade, que manifestaram o seu apoio, entre as quais a Associação Portuguesa de Hotelaria, Restauração e Turismo (APHORT), a Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN), a Associação dos Industriais Metalúrgicos, Metalomecânicos e Afins de Portugal (AIMMAP), a Associação Portuguesa dos Industriais do Calçado, Componentes, Artigos de Pele e seus Sucedâneos (APICCAPS), a Associação dos Comerciantes do Porto e a Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE), podendo outras associações vir a associar-se à iniciativa.

Em parceria com o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), o Município tem disponibilizado sessões de formação em língua portuguesa a refugiados ucranianos duas a três vezes por semana, no Parque Biológico de Gaia. 

Sempre que há necessidade de se deslocarem a consultas, ao IEFP, ao Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, a escolas ou ao Centro Nacional de Apoio à Integração de Migrantes, entre outros, os cidadãos ucranianos são sempre acompanhados por uma tradutora, em parceria com a INOVAGAIA, para facilitar a comunicação.